Etnometodologia & Análise da Conversa (Watson & Gastaldo, 2015)

EM & AC (Watson & Gastaldo)

«Muitos etnógrafos na sociologia e antropologia convencionais estudam comunidades epistêmicas sem entender o saber epistêmico que informa o trabalho daquela comunidade. Consequentemente, esses(as) observadores(as) não podem observar adequadamente a comunidade que estudam, a não ser como outsiders, observadores(as) por fora da situação. Para estar por dentro da situação deve-se dominar os saberes internos envolvidos nela. Esse domínio inclui o uso apropriado de conceitos usados pelo grupo, o domínio do jargão profissional, gírias locais, e assim por diante. O ponto de vista outsider de um observador que não é competente (…) explica por que há tantos estudos de identidades ocupacionais, de atitudes para com a família, atitudes para com os clientes etc. – tudo, exceto o próprio cerne da atividade laboral em si mesma, a performance hábil das tarefas que efetivamente constituem a ocupação. Parte desse deslocamento deve-se à confiança exagerada dos(as) sociólogos(as) em entrevistas [ou, pior ainda, em questionários], isto é, em reconstruções fora de contexto sobre as atividades que compõem o universo laboral» (Watson & Gastaldo, 2015: 82).

«(…) logo depois do surgimento da EM [EtnoMetodologia], em fins dos anos de 1960, foi criada a mais proeminente e vigorosa abordagem da família etnometodológica, herdeira de sua mentalidade analítica, a Análise da Conversa (AC). (…) A Análise da Conversa conquistou o mundo tanto nas ciências sociais quanto (talvez até mais) na Linguística e em áreas ligadas a ela, como os estudos de comunicação, análises de discurso de diferentes matizes e áreas disciplinares de fronteira, como a Sociolinguística Interacional. Uma das provas de como a AC se tornou influente no campo da linguística é que um artigo (…), escrito por Sacks, Schegloff e Jefferson (1974) e publicado na revista Language, um das mais importantes na sua área, veio a se tornar o artigo mais citado e referido de toda a longa história do periódico» (Watson & Gastaldo, 2015: 87).

Notas de leitura / Corpo de citações –> Link

____________

Watson, R. & Gastaldo, É., 2015. Etnometodologia & Análise da Conversa, Petrópolis / Rio de Janeiro: Vozes / PUC-Rio.

Michel G. J. Binet

Professeur à l'ESECS-IPP (Escola Superior de Educação e de Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre) et à l’ISSSL-ULL (Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa – Universidade Lusíada de Lisboa) - Chercheur en Travail social - Docteur en Anthropologie - Analyste de la Conversation - Membre du Conseil du GIS Hybrida-IS, Groupement d'Intérêt Scientifique en Travail social - Coordinateur du Conseil Scientifique de la CERCIMA

More Posts

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *