Isabel de Sousa

Investigadora

do Grupo de Etnometodologia e Análise Conversacional da Clusividade social | GEACC-CLISSIS

Doutora em Serviço Social – Mestre em Serviço Social – Licenciada em Serviço Social

Assistente Social | 30 anos de experiência profissional

Docente (desde 2000) do Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa da Universidade Lusíada de Lisboa | ISSSL-ULL


Tese de Doutoramento em Serviço Social

Serviço Social e Democracia Local Desafios do Quotidiano dos Assistentes Sociais

__

Isabel de Sousa

Resumo

A presente investigação enquadra-se no âmbito do programa de doutoramento do ISSSL/ISCTE e surge inserida num processo reflexivo associado a mais de trinta anos de exercício profissional como assistente social e de 10 anos de docência no Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa.

Pretende-se realizar um estudo que questione os desafios colocados aos Assistentes Sociais, no seu quotidiano, e analise como os profissionais respondem a esses mesmos desafios, em articulação com os valores, princípios éticos e deontológicos preconizados pelos próprios, bem como com o seu discurso sobre identidade e projecto profissional. Pretende-se, igualmente, perceber as competências desenvolvidas e requeridas para um exercício profissional ajustado aos desafios identificados.

Defende-se a proposição de que os profissionais de serviço social podem, através do exercício profissional, contribuir para criar condições para o reforço da capacidade de autonomia dos seus clientes, para a inovação e para o desenvolvimento de novas formas organizativas, concebidas tendo em conta o contexto local preciso.

Estamos, então, perante uma matéria insuficientemente debatida, em que se verifica a necessidade de, para além da análise do discurso dos assistentes socais sobre identidade, modelos de intervenção e prática profissional, recorrer à análise das interacções comunicacionais entre profissionais e utentes, no contexto da intervenção social.

Esta pesquisa orienta-se em torno de um método de investigação coparticipativo, em que, para além da investigadora responsável, se constitui uma equipa de profissionais que assumem a tarefa da recolha de dados (investigadores internos), o que supõe a dinamização de momentos para retorno e análise reflexiva dos dados recolhidos.

Palavras-chave

Serviço Social, Projecto Profissional, Cidadania, Direitos Humanos, Naturezas Sociais, Análise da Conversação, Investigação Coparticipativa.

____

Ref.ª  | Sousa (de), I., 2016. Serviço Social e Democracia Local: Desafios do Quotidiano dos Assistentes Sociais. Tese de Doutoramento em Serviço Social. Lisboa: Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL).

 

Michel G. J. Binet

Professeur à l'ESECS-IPP (Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre) et à l’ISSSL-ULL (Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa – Universidade Lusíada de Lisboa) - Chercheur en Travail social - Docteur en Anthropologie - Analyste de Conversation - Membre du Conseil du GIS Hybrida-IS, Groupement d'Intérêt Scientifique en Travail social

More Posts

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Groupe d’Ethnométhodologie et d’Analyse Conversationnelle de la Clusivité sociale