Relatório de Missão no GEACC de Carla Mirelle Matos Lisboa (PUC-Rio)

RELATÓRIO

Eu, Carla Mirelle de Oliveira Matos Lisboa, linguista, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), com o apoio de uma bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), sob a orientação da Professora Dra. Maria do Carmo Leite de Oliveira, fiz parte do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE), de agosto 2017 a fevereiro 2018, sob orientação do Professor Dr. Michel G. J. Binet, no seio do Grupo de Etnometodologia e Análise Conversacional da Clusividade social (GEACC), Grupo de Investigação do Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social (CLISSIS) do Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa da Universidade Lusíada de Lisboa (ISSSL-ULL).
Em agosto de 2017, fui recebida pelo Professor Dr. Michel Binet e realizamos uma reunião com os membros do GEACC na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre (ESECS-IPP). Nessa primeira reunião, nos apresentamos e compartilhamos expectativas e planos, os quais foram executados e serão descritos a seguir, ao longo do período que estive em Lisboa. A recepção foi muito calorosa e ao ouvir a agenda de investigação de cada membro(a) do Grupo, pude constatar que estava no local certo para receber contribuições para a minha tese de doutorado e para minha formação acadêmica como um todo.
Foram realizados, nestes sete meses, reuniões semanais ou bisemanais com o Professor Dr. Michel Binet, em que tivemos várias sessões de análise conjunta de dados da minha pesquisa. Nessas sessões, houve um intenso trabalho de aperfeiçoamento das minhas competências de transcrição da fala-em-interação e de análise conversacional etnometodológica sobre e em Serviço Social, nas quais foram apresentados vários conceitos e teorias do Serviço Social, que muito contribuem para minha formação e que, com certeza, estarão na tese. Durante este período, tive a minha disposição o uso do gabinete do GEACC na Universidade Lusíada de Lisboa.
Além disso, tivemos sessões conjuntas de análise dos dados com colegas do GEACC, os quais além de serem analistas da Conversa possuem formação de base em áreas diferentes (serviço social, linguística, antropologia e comunicação), o que torna o debate e análise ainda mais ricos.
Uma vez que, além de investigadora sou também interventora social na Organização Não Governamental (ONG) Turma da Sopa de Niterói (TSN), o contato com o GEACC e com o aprendizado proporcionado neste período foi de suma importância para minha atuação como interventora social.
É válido destacar que o GEACC possui membros muito generosos, disposto a co-construir conhecimentos e compartilhar materiais e informações que sejam de interesse coletivo. Inclusive, através da Professora Dra. Isabel de Sousa, membra do GEACC, tive contato com a Comunidade Vida e Paz, ONG semelhante à TSN, mas com uma estrutura muito maior e mais consolidada, pois tem muitos anos de existência e trabalho social junto as pessoas em situação de rua (em condição de sem-abrigo). Através deste contato, tornei-me voluntária desde setembro de 2017 até fevereiro de 2018 e acompanhei/participei do trabalho nas ruas de várias equipes. Foi possível também acompanhar a equipe técnica, responsável pela abordagem social. Diante desta oportunidade e da sugestão do Professor Dr. Michel Binet fiz a solicitação para ser investigadora naquele espaço e gerar um pequeno corpus, que proporcionará uma análise complementar aos meus dados com a perspectiva do contexto das pessoas em situação de rua em Portugal.
Tivemos, também dois encontros do Seminário interdisciplinar de Pragmática e Análise dos Atos profissionais, na Universidade Lusíada de Lisboa, promovido por iniciativa do GEACC, um desses encontros contou com a participação da minha orientadora do Brasil, Professora Dra. Maria do Carmo Leite de Oliveira (PUC-Rio) e outro com a presença de Patrick Lechaux, membro da direção do GIS Hybrida-IS, o mais importante agrupamento francês de escolas e universidades envolvidas no desenvolcimento da investigação em Serviço Social, que participou de uma sessão de co-análise de um dos dados da minha pesquisa e ficou impressionado com o alcance de uma análise da conversa etnometodológica. Destaco que participação de minha orientadora foi muito importante para conseguirmos estreitar laços entre os Grupos Discurso, Interação e Práticas Profissionais (DIPP), nosso grupo na PUC-Rio, e o GEACC, pois ambos possuem uma agenda de investigação e interesses de pesquisa muito alinhados.
Também tive oportunidade de ministrar, juntamente com o Professor Dr. Michel Binet, aulas em cursos de Mestrado, Doutorado e Licenciatura em Serviço Social, respectivamente, na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCSUC), na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre (ESECS-IPP) e no Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa da Universidade Lusíada de Lisboa (ISSSL-ULL).
É válido dizer também que fui convidada para permanecer como investigadora colaboradora do GEACC, convite aceito com muito gosto. Diante das ricas contribuições e das relações estabelecidas, o Professor Dr. Michel Binet também foi convidado para ser coorientador da minha tese de doutorado e aceitou o desafio proposto.
Diante do exposto, certa de que a parceria entre DIPP e GEACC tendem a se fortalecer cada vez mais, ficam os meus agradecimentos à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); ao Professor Dr. Michel G. J. Binet, à Professora Dra. Maria do Carmo L. de Oliveira; ao Grupo de Etnometodologia e Análise Conversacional da Clusividade social (GEACC); ao Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social (CLISSIS); a Comunidade Vida e Paz e a Turma da Sopa de Niterói, que muito contribuiram, cada um(a) ao seu modo, para que o meu estágio doutoral no PDSE fosse bem sucedido e houvesse um aperfeiçoamento da minha tese de doutorado e de minha formação acadêmica.

Carla Mirelle Matos Lisboa
26 de Março de 2018


Michel G. J. Binet

Professeur à l'ESECS-IPP (Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre) et à l’ISSSL-ULL (Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa – Universidade Lusíada de Lisboa) - Chercheur en Travail social - Docteur en Anthropologie - Analyste de Conversation - Membre du Conseil du GIS Hybrida-IS, Groupement d'Intérêt Scientifique en Travail social

More Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.