Análise da Conversa & Serviço Social (MiniCurso) | PUC-Rio, 21-22 Novembro 2018

Programas de Pós-Graduação de Estudos da Linguagem e de Serviço Social

21-22 Novembro 2018
14h00 – 18h00
Sala L134


Minicurso

Introdução à Análise da Conversa

Contribuições da experiência europeia na prática do Serviço Social


PÚBLICO ALVO

Profissionais e estudantes de Serviço Social e de Estudos da Linguagem


O grupo de pesquisa Discurso, Interação e Prática Profissional – DIPP do Programa de Pós-Graduação de Estudos da Linguagem da PUC-Rio e apoiado pelo CNPq, em parceria com o Programa de Pós-Graduação de Serviço Social da PUC-Rio e o GEACC, o grupo de pesquisa em Etnometodologia e Análise Conversacional da Clusividade social do Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social, financiado pela FCT – Fundação de Ciência e Tecnologia de Portugal, convidam a comunidade acadêmica para participarem do minicurso Introdução à Análise da Conversa: contribuições da experiência europeia na prática do Serviço Social, a ser realizado nos dias 21 e 22 de novembro, de 14:00 às 18:00, na PUC-Rio, sala L134.


Ministrante: Doutor Michel G. J. Binet

  • Professor Adjunto Convidado da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre (ESECS-IPP); 
  • Professor Auxiliar do Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa da Universidade Lusíada de Lisboa (ISSSL-ULL);
  • Coordenador do GEACC, Grupo de Investigação em Etnometodologia e Análise da Conversa do Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social (CLISSIS);
  • Membro da Rede Anglo-Escandinava Discourse and Narrative Approaches to Social Work And Counselling (DANASWAC);
  • Participante como analista da conversa no projeto científico do Groupement d’Intérêt Scientifique (GIS) Hybrida-IS, a maior rede mista francesa de investigação em Serviço Social.

RESUMO | O minicurso visa a oferecer um panorama geral sobre o potencial da perspectiva teórico-metodológica da Análise da Conversa (AC) de base Etnometodológica no entendimento e melhoria das práticas profissionais, na área de Serviço Social. Com o apoio em estudos de corpora de gravações e filmagens do agir profissional, será evidenciada a retroalimentação entre teoria e prática e a importância da conjugação dos saberes academizados e dos saberes práticos, vistos como saberes de ação descritíveis, transmissíveis. O programa compreende (i) a introdução de princípios da AC, como ações interacionais e sequencialidade, e de outros relevantes no estudo da fala-em-interação, como ritual interacional e face; (ii) a discussão sobre o uso de diferentes instrumentos metodológicos de pesquisa e (iii) atividades de análise de dados em que o profissional de Serviço Social será também o co-investigador de sua prática.



Programa do Minicurso

(Resumo)

A Análise da Conversa na Pesquisa e na Formação em Serviço Social na Europa

Dia 21 | 14h – 18h (L134)

A atualidade internacional da Análise da Conversa de base etnometodológica na pesquisa em Serviço Social: equipes e estudos;

Desafios e alcances do profissional em Serviço Social;

A investigação como meio de intervenção social;

O saber acadêmico e o saber prático: Recherche praticienne;

Princípios teórico-metodológicos da AC para a prática e pesquisa em Serviço Social;

Microética e Projeto ético-político do Serviço Social: Os Micro-Macro Links ou como ligar Direitos humanos e Direitos promovidos na interação; 

Microética e Ritualização dos comportamentos de interação: o trabalho Face Work (Erving Goffman).


Dia 22 | 14h – 18h (L134)

O desenho de um projeto de pesquisa;

Os usos de diferentes meios de geração de dados:

Gravação e transcrição de interações;

Pesquisa colaborativa e encontros de coanálise dos dados conversacionais;

O encontro de co-análise como dispositivo híbrido de co-participação no processo de pesquisa e de co-formação por autoconfronto: práticas profissionais de Assistentes sociais em várias áreas de intervenção social.


VAGAS LIMITADAS, COM EMISSÃO DE CERTIFICADOS
Formulário de inscrição (Gratuita) | Link

Mais informações: mirellematos@gmail.com

 



PROGRAMA DETALHADO

Preliminares epistemológicos: Desafios e alcances da Recherche praticienne

Saberes profissionais procedimentais e Teorias-em-ato dos assistentes sociais : a reflexividade-em-ato e a racionalização endógeno do agir profissional

O corte entre prática e teoria da prática como “fição epistemológica” : crítica radical do « cientismo » e do « academismo » no seio da comunidade científica do Serviço Social

Etnometodologia: Reabilitar o Homo sapiens no Homo faber

A Comunidade profissional dos Assistentes sociais como Comunidade investigativa

Autonomia disciplinar e inter/trans/co/pós-disciplinaridade: o dialogo entre Assistentes sociais e Linguistas na investigação em Serviço Social

Teoria da hierarquia invertida e Metalinguagem de descrição e análise: a granularidade descritiva em linguística interacional

Teorizar na/pela/para a prática : Um novo paradigma teórico-metodológico ?


Desenhar projetos de investigação : « La méthode, c’est les résultats ; les résultats, c’est la méthode » (Assistente social francês implicado numa Investigação-ação colaborativa fora de um regime autorial)

Questionários e entrevistas: Limites dos métodos de estudo indireto das práticas profissionais

Pesquisa de terreno e Observação desarmada: Limites do estudo direto baseado na capacidade memorial do observador

Estudos de corpus/corpora e Observação armada: gravar e/ou filmar o agir profissional

O que gravar/filmar ? Os eventos interacionais gerados pelos quadros conversacionais da intervenção social

O que transcrever e anotar ? Os detalhes emicamente relevantes

Investigação colaborativa e Sessões de co-análise dos dados conversacionais: a co-investigação

A orientação de tese como quadro conversacional da co-investigação

Orientação de teses e Maiêutica: Reconhecimento e valorização da autoridade epistémica do profissional pelo orientador

A ativação da memória e da reflexividade do profissional ancorada nos observáveis da Análise Conversacional: Uma auto-etnografia dos saberes experienciais dos assistentes sociais por autoconfronto com a prática a partir de gravações e filmes

Implicar utentes/clientes/cidadões na co-investigação : a investigação como meio de intervenção social


A abordagem da fala-em-interação a partir de uma microética do agir profissional do Assistente social

Microética e Projeto ético-político do Serviço Social: Os Micro-Macro Links ou como ligar Direitos humanos e Direitos promovidos na interação

Microética e Ritualização dos comportamentos de interação: Face Work (Erving Goffman) e Clusividade social

A racionalização do agir profissional dos Assistentes sociais na trama das interações: A justificação racional (Accountability) do duplo ponto de vista da microética e da análise dos quadros interacionais (Frame Analysis)

As quatro regras elementares da conduta microética das interações ritualmente equilibradas, observáveis e analisáveis nos atendimentos sociais e nas visitas ao domicílio

O mapeamento dos atos ameaçadores da face (FTA) em atendimentos sociais

A inversão das quatro regras elementares da conduta microética nas interações agonais: a organização metódica dos conflitos

Descrever conflitos e analisar saídas disruptivas do quadro conversacional de um atendimento social, ou como revelar e comprovar pela negativa a omnipresença e omnirelevância dos sistemas de copilotagem das atividades concertadas descobertos pela Análise da Conversa: Os conflitos ou a desregulação metódica do (1) sistema de regulação das tomadas e alternâncias de turnos, (2) do sistema de sinalização e de correção de “erros”, (3) da organização preferencial dos pares adjacentes e (4) dos sistemas de categorização e das formas de trato

A reparação das ofensas (FTA) e os etnométodos do apaziguamento dos conflitos verbais em sede de atendimento social


Os retornos formativos da co-investigação à luz de uma « análise conversacional crítica » das relações de poder na produção e disseminação de saberes

A investigação em Serviço Social como quadro científico-disciplinar de um encontro entre Etnometodologia e Teoria Crítica: o Serviço Social como « ciência de atores » (Isabel Passarinho) ou como romper com o mito positivista da neutralidade/indiferença axiológica do observador exterior

Desdobrar competências tácitas / saberes de ação em saberes explícitos, acumuláveis, transmissíveis e “treináveis”

A Tragédia da cultura (Georg Simmel) ou como não transformar os saberes explicitados e “academizados” em coletes de força travando a inovação social a partir dos locais de trabalho : Reler Harold Garfinkel e Michel de Certeau

Não quebrar o círculo apertado unindo prática e teoria da prática em sede de formação: emergência de um perfil de competência integrada do Assistente social na e pela Recherche praticienne etnometodológica

Um método de formação assente na Análise da Conversa: Conversation Analytic Role-Play Method (CARM)

A Sessão de co-análise (Data Session) como dispositivo híbrido de co-investigação e de co-formação por autoconfronto cruzado: O círculo da prática e da teoria da prática no aqui e agora de uma sessão de análise colaborativa das práticas profissionais de Assistentes sociais na área da proteção da infância


A atualidade internacional da Análise da Conversa etnometodológica na investigação em Serviço Social: Equipas e pesquisas

A agenda investigativa do Grupo de Etnometodologia e Análise Conversacional da Clusividade Social (GEACC), Grupo de pesquisadores do Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social (CLISSIS) – Portugal

A Rede anglo-escandinava DANASWAC : Discourse And Narrative Approaches to Social Work And Counselling

A Análise da Conversa etnometodológica no projeto científico do Groupement d’Intérêt Scientifique (GIS) Hybrida-IS, a maior rede mista (8 Universidades e 14 Escolas de Serviço Social) francesa de investigação em Serviço Social : a análise das profissões-em-ato (métiers-en-acte)

Michel G. J. Binet


«A Etnometodologia deve ser ensinada em Serviço Social» (José Paulo Netto, 09 de Novembro de 2018).

Aula Aberta de José Paulo Netto, no Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa da Universidade Lusíada de Lisboa (ISSSL-ULL)

_____________

This work is financed by national funds by FCT – Foundation for Science and Technology, under the Project UID/SOC/04624/2013

 

Michel G. J. Binet

Professeur Universitaire à l’ISSSL-ULL (Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa – Universidade Lusíada de Lisboa) - Chercheur en Travail social - Docteur en Anthropologie - Analyste de Conversation - Membre du Conseil du GIS Hybrida-IS, Groupement d'Intérêt Scientifique en Travail social

More Posts


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.